top of page

Pela primeira vez, uma embarcação autônoma navega na região do Pré-sal brasileiro

No mês da comemoração dos 15 anos do pré-sal, a TideWise operou o USV Tupan por 43 horas ininterruptas


Já imaginou uma embarcação autônoma monitorada remotamente navegando no Pré-sal?


O que para alguns pode ser considerado inimaginável, para a TideWise já é realidade! No mês em que o pré-sal comemora 15 anos de operação, a TideWise, empresa brasileira que desenvolve, integra e opera sistemas autônomos, realizou uma operação inédita na Bacia de Campos.



O USV Tupan, a embarcação autônoma da companhia, realizou uma operação de 43 horas ininterruptas, navegando cerca de 230 km.


Nesse blog, vamos abordar detalhes técnicos sobre o pré-sal e explicar com mais detalhes como realizamos essa operação inédita em uma região tão importante para a economia brasileira.


Sobre o Pré-sal


O que é o pré-sal?


O pré-sal diz respeito a uma extensa região com reservas de petróleo e gás natural situada abaixo de uma espessa camada de sal, com localização aproximada entre 5 e 7 mil metros abaixo da superfície do oceano. Esse sal, também chamado de sal-gema, é uma rocha sedimentar formada por depósitos de sais minerais acumulados ao longo de milhões de anos.




No Brasil, esta camada compreende uma faixa que se estende ao longo de 800 quilômetros, englobando as bacias sedimentares de Santos, Campos e Espírito Santo.


Por essas reservas se encontrarem em profundidades significativas no oceano, a exploração e a produção no pré-sal envolvem tecnologias avançadas de perfuração, extração e processamento de petróleo e gás. A camada de sal também representa um desafio adicional, pois pode dificultar a visualização precisa das formações geológicas, além de apresentar desafios técnicos para a perfuração.


Quais as principais bacias do pré-sal brasileiro?


As principais bacias do pré-sal brasileiro são a Bacia de Santos, a Bacia de Campos e a Bacia do Espírito Santo. Essas bacias são conhecidas por abrigar extensas reservas de petróleo e gás abaixo da camada de sal, sendo consideradas as mais relevantes em termos de exploração e produção no pré-sal.


Bacia de Santos: Localizada na região sudeste do Brasil e abrange os litorais dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. É uma das bacias mais importantes para a produção de petróleo do pré-sal no Brasil, contendo uma significativa quantidade de reservas.


Bacia de Campos: A área da Bacia de Campos abrange cerca de 100 mil quilômetros quadrados, estendendo-se do Estado do Espírito Santo, nas imediações de Vitória, até Arraial do Cabo, litoral norte do Rio de Janeiro. É uma das bacias pioneiras na exploração do pré-sal.


Bacia do Espírito Santo: Localizada ao norte da Bacia de Campos, abrangendo parte da costa do estado do Espírito Santo. Também possui reservas de petróleo e gás no pré-sal, embora em menor escala que as outras duas bacias mencionadas.


Como o uso de embarcações autônomas pode auxiliar nas operações do pré-sal?


O uso de embarcações autônomas, como o USV Tupan, pode trazer diversos benefícios e melhorias para as operações no pré-sal, otimizando a exploração e produção de petróleo nessa importante reserva marítima. Dentre diversos benefícios, podemos destacar:


- Mais segurança nas operações: Embarcações não tripuladas suprimem os riscos à vida humana inerentes às operações de navegação (especialmente em ambiente offshore);


- Transporte de carga e suprimentos: Embarcações autônomas podem ser utilizadas para o transporte de carga, equipamentos e suprimentos entre as plataformas de petróleo e a costa, permitindo uma logística mais ágil e econômica.


- Redução de custos operacionais: Ao automatizar tarefas e operações, as embarcações autônomas podem ajudar a reduzir os custos operacionais associados às operações no pré-sal, incluindo despesas com tripulação, manutenção e combustível, resultando em uma exploração mais eficiente e econômica.


- Maior janela operacional: O uso de embarcações não tripuladas também oferece uma maior janela operacional, já que o USV pode operar por dias contínuos, possibilitando um monitoramento da missão de forma remota e o processamento dos dados obtidos em tempo real.


- Monitoramento ambiental: USVs podem ser usados para monitorar o impacto das operações no meio ambiente, como a detecção da presença de petróleo, monitoramento da qualidade da água e observação da vida marinha. Isso contribui para práticas mais sustentáveis e responsáveis no pré-sal.


- Coleta de dados e mapeamento submarino: Embarcações não tripuladas podem ser equipadas com sistemas de coleta de dados para mapeamento do fundo do mar, identificação de características geológicas e geofísicas, e coleta de amostras do solo marinho. Essas informações são essenciais para o planejamento e aprimoramento das operações de exploração e produção.


Operação USV Tupan na Bacia de Campos


Mais do que se manter apenas na teoria, mostramos na prática que nossa solução já é plenamente operacional.


O USV Tupan, a embarcação autônoma desenvolvida e operada pela TideWise, realizou uma operação de 43 horas ininterruptas de navegação saindo do Porto do Açu em direção a Bacia de Campos, com retorno final ao porto.


Foram cerca de 230 km de navegação, com o barco sendo monitorado a partir do Centro de Controle, na cidade do Rio de Janeiro.



Uma operação inédita para a região do Pré-sal, essa foi a primeira vez que uma embarcação autônoma navegou na Bacia de Campos.


No ano em que a produção do pré-sal completa 15 anos, concluir este tipo de operação com sucesso mostra a eficiência da TideWise em oferecer serviços de excelência e, principalmente, como o uso das nossas embarcações autônomas já se apresentam viáveis e podem ser utilizadas de forma muito mais econômica, segura e sustentável.



 

Junte-se a nós nessa jornada! Para mais informações sobre como podemos contribuir com soluções mais sustentáveis para o seu negócio entre em contato pelo e-mail contato@tidewise.io ou pelo WhatsApp +55 (21) 3923-5694.




165 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page